Sexta-feira, 11 de Novembro de 2011

Desencontros

Há sempre um gesto, menos agradável, um sitio onde passas e ouves alguma música identica a ti, a tua personalidade, forma de ser, por outras vezes são palavras que pessoas que te rodeiam te entregam, coisas que ouves e evitas responder para não maguar, ou mesmo algo que se identifica mais contigo, com a tua vida, com a tua gerãção, ou mesmo com alguém que desconheces, ou mesmo que conheces e nem avalias com lado positivo.  Com os anos vamos pensando que temos gente de todo o tipo a nossa volta e que não podemos fazer nada para mudar o que nos resta, ou mesmo aquilo que para nós era menos importante o que outrora a tempos atras se for perciso nem ligavas nem dávas valor, com o tempo começei a dár valor as pequenas coisas, mas que para o coração são unicas e desicivas.

 

Apreciei bem, e fiquei numa rua onde raramente passavam carros ou pessoas, num beco chamado" Esperança" , logo pelo nome avaliei que so poderia ser algo que realmente me fizesse mudar algo, ou na forma de ser, ou mesmo nas pessoas que pertenciam ao meu passado ou ao meu presente, talvez como esperança tambem num futuro na minha vida, então aí existia casas velhas, e carros partidos, e isso significa o mal, do meu lado oposto existia luz, e vivendas, então ai vi que era o bem, avaliando as coisas, percebi que a minha vida estava embocada para o meio de ambas, so eu poderia escolher o que fazer dali em diante, aproximei-me de um banco partido, e rezei, sabem para que? Para conseguir escolher o rumo o destino, e o caminho mais facil mas aquele que me trouxesse benefício, razão, mas sobretudo felicidade.

 

Passadas horas de estar naquele local, olhei para tráz e reparei que estava lá uma senhora de idade, mal conseguia mover-se naquelas pernas, andava com um cabo de uma "vasoura " provavelmente a fazer de bengala, e reparei que viria do lado do mal, olhei.a, e uma lagrima lhe corria pelo rosto, olhei para o lado de onde vinha, e reparei que ninguem existia naquele local, então pensei o porque daquela pobre velhota chorar?

Assim que a olhei mais profundamente ela parou, assustada olhando para mim, e diz-me " O caminho certo", fiquei assustada confesso o que era aquilo, até que pensei na sua frase e me dirigi a ela, a senhora pousou a sua mão em cima da minha e disse:

 

- O bem e o mal, com os anos vamos pecando, ou porque fizemos promessas e não fomos cumprindo, ou porque maguamos quem nos amava, os nossos, a familia, os namorados, os maridos, e não reparamos, vamos trantando mal as pessoas que nos rodeiam sempre que estamos chateados com o mundo, fases na verdade, mas minha querida não cometas o mesmo erro.

 

Fintei os olhos nela, e pensei o porque dela me estar a dizer aquilo, mas não me prenunciei não sei naquele momento foi medo, ou melancolia, mas reconheci que ela tinha razão, e soltei um sorriso para que ela percebese que a sua mensagem tinha sido bem sucedida, mas... Algo naquele momento aconteceu, fiquei aterrorizada, pois os seus olhos ficaram vermelhos, como diabo, e a sua voz ficou grossa, então ai fugi, corri o mais que pode, e sai do beco, onde a muito já estava para um momento de reflexão, deixei o tempo passar, e regresseia ao local.

 

 

Não vi mais ninguem, nem a velhota que outrora se evaparou, pois nem eu entendi, nem banco velho, nem nada a minha volta, apenas o céu, e estrelas indicando.me a noite, e ai percebi que tinha chegado a minha hora de escolher, entre o bem e o mal, fechei os olhos, e então ai percebi, o que aquela pobre velhota me queria dizer de coração, Muitas vezes ao longo da nossa vivencia não damos o devido valor as pessoas que nos rodeiam, pais, namorados, amigos, etc, e dizemos muitas vezes coisas que não sentimos só para nos defendermos, ou para doinarmos o nosso caminho, então sabem o que a velhota me diria com isto?

 

-Ao longo da sua vida, foi muito amiga dos netos, dos filhos, dos pais, da familia, e claro como todos nós, ela cometeu estes erros referidos, mas sempre com a magoa que ningvuem lhe dava valor, uma vida inteira de sofrimento, lembrei-me do que estava na sua mão o numero 19, simbolizava a idade com que decidiu tomar uma decisão para por fim ao seu sofrimento, a sua angustia a sua dor, desistiu de tudo, dos que a magoavam, dos que gostava, do mundo, e em vez de ser ela a escolher o seu destino, por ter sido tão boa pessoa ao longo da sua vida, o mal escolheu-a primeiro, ficando assim isulada de todo o mundo, da cidade, dos amigos, da familia, dos irmaos, dos netos, etc, o coutidiano, pois falecera, e muito ficou por dizer, não dela mas dos que a rodeiavam, e quem pagou por isso foi a pobre velhota, pois hoje o que ela me fez foi mostrar-me o caminho certo, lutar por mim primeiro depois pelos outros, e ir para o bem , e recordam-se da sua frase" O caminho certo"? Foi isso eu criei a minha tambem : "Se as coisas na minha vida tiverem de ser minhas foi porque as conquistei, se não voltarem foi porque numca as tive".

 

 

 

 

publicado por verdadetransparente às 14:52
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 10 de Novembro de 2011

Jogo a dois

Começei a jogar, tinha um baralho com duques, e cartas de valor, fui jogando as que para mim me eram mais fáceis, apresentei possibilidades de ganhar, e as minhas razões para o achar, fui guardando os meus trunfos na coração, para poder jogar em caso de empate emocial, fui adivinhando as cartas que os meus parceiros escondiam por detrás de traços , e riscas, umas dizendo coração, outras paus, e até mesmo espadas, fui avaliando quantas vezes já as tinham colocado no jogo, no coração não foi fácil pois quando gosto do jogo , numca perco, e são rarás as vezes em que me deixo apaixonar, os paus, são dores passageiras de sentir, que posso perder na batalha, e saindo.me mal no fim, um pouco mais para baixo, desmotivada, sem acreditar na vitória no fim, mas tudo volta quando me atiram para fora do baralho as espadas, foi confuso e complicado e muitas vezes pensei mesmo desta já não passo, não aguento estou a perder as cartas, e aí quando tudo começa, penso mas será que numca vou conseguir dizer " Start" incio, sem nunca ouvir uma derrota?

 

E foi ai que resolvi, dizer diferente de todas as outras vezes em que a minha voz quase nunca se ouvia, ou mal sobresaia, analisei, verifiquei, parei, e pensei no que era mais importante se a vitória de um breve e simples jogo, ou os parceiros ?  Resolvi com a minha sabedoria dar um final ao jogo que me animava e me fazia ganhar vida, vitória, assim disse a mim mesma, vais ganhar, e guardar os teus trunfos mas desta vez com uma condição sem lágrimas, que aquivalem a damas, vais garda-las no baralho até as dores menos importantes se gastarem, para no fim dizeres estes são os meus trunfos.

 

Assim o fiz, colocei a minha mão sobre o duque, e mandei para a mesa que estava de frente, o meu parceiro, manda paus, na segunda jogada espadas, e leventei.me , ergui.me e tive coragem realmente de mandar um dos meus trunfos e coloquei a frente do meu parceiro chamado "Amor" ergui a voz da razão, da luta, da coragem, dos sentimentos, dos desgostos, e no fim como os meus trunfos eram tantos, e o meu parceiro se sentou de repentina caindo as copas sobre a mesa de plástico, e como sempre gostei de jogar um jogo que valesse a pena, resolvi dizer" Game Over" , e coloquei o titulo " Amote", fez com que ganhasse não só o jogo mentalmente como pscilógicamente, ganhei vida , e esperança, e numca por mais anos que passem voltarei a tirar esse jogo da lembrança.

 

publicado por verdadetransparente às 01:00
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 8 de Novembro de 2011

Sentimento Inverso

 

Podem chamar, chamar melancolia, aos sentimentos, quando duas pessoas gostam uma da outra, como podem mesmo, dizer que o amor não existe, ou simplesmente aparece uma só vez na vida de alguém, eu hoje resolvi recomeçar de novo, fazer aquilo que não consegui até este dia.

Passei dias em que me culpava por coisas insignificantes, coisas supérfluas, e quantas vezes por isso magoei quem realmente gostava de mim, por vezes nos não entendemos quem somos na verdade, pensamos que nada nos corre bem, somos umas infelizes porque o 1 amor não resultou, ou porque os nossos pais nunca estiveram ao nosso lado, hoje resolvi, pôr-me a pensar e sinceramente deixar o sentimento de pena que os outros tem por mim, e dar-lhes um sentimento de vitória.

 

Ao longo dos anos aprendi coisas que ninguém me ensinou , por vezes a momentos na nossa vida, que não servem apenas de recordação mas sim de aprendizagem, momentos esses ou faces da vida tal como as identifico, que servem para nos tornarmos mulheres, e deixarmos aquela pequena criança que existia dentro de nos, aos poucos tentei que o tempo fosse apagando algumas memórias, alguns sinais, enfim tudo o que me faz deixar em baixo, com menos força, e os meus olhos quantas vezes se enublaram e deitaram pequenas gotas, quando tentava exprimir ou achar um porque para as coisas, hoje penso que o que conquisto é meu, se as perder são porque nunca as tive realmente, se voltarem é porque as conquistei e mereci.

 

A minha pequena esperança, numca morreu foi ficando mais pequena, mas com os anos, voltou a renascer, não direi por inteira, porque elas não matam, mas moem, e o que não nos mata nos torna mais fortes, no entanto hoje aprendi o que são sentimentos, o que são verdades, o que é o amor, o que são recordações, mas sobretudo o que é a vida, é dura e confesso a cada dia que passa fico mais cansada de a viver, mas eu nasci e para sobrevever a lei da vida, as tristezas, aos desgostos, as infedelidades, a tudo o que outrora numca me passou pla cabeça sentir, hoje mulher escrevo sim mas com outra cura, a cura de ser feliz, e viver a vida como eu aprendi. Simplesmente a minha maneira.

 

Quando me sinto mais em baixo, tento sempre pensar no amanhã, no que ainda poderei fazer, ter, ou mesmo conquistar, se não acontecer posso ter o meu momento de sonho, isso ja faz com que a minha tristeza me dê um sorriso no rosto e força, para alcançar as próximas derrotas, assim aprendi que o tempo é talvez uma grande cura, mas a nossa cabeça o nosso psicológico e que fazem mudar as coisas, ser melhor não e ser perfeito, ao contrário do que pensava e era aí que estava a errar, aprendi que não podemos agradar a todos, que nem sempre os feitios são iguais, e nem sempre as pessoas pensam da mesma forma em ocasiões que secalhar perferias que essa te agarrasse e pedisse para ficar, ou mesmo que essa te beijasse e disse-se é para sempre ... Aprendi uma grande verdade "Isso nao existe"..

 

publicado por verdadetransparente às 00:53
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Liberdade de expressão

. Pensamento Neutro

. Boneco mentiroso

. Desencontros

. Jogo a dois

. Sentimento Inverso

.arquivos

. Dezembro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

blogs SAPO

.subscrever feeds